15 de jan de 2011

Último dia antes do Dia D

Boa Noite !!

Estou muito ansiosa pro Dia D!
Hoje, meus amigos fizeram uma festinha surpresa pra mim, aqui na minha casa, foi muuito boom! Muito legal se sentir importante, realmente vou sentir muita saudade de tooooodo mundo!

Bom, então, seguinte, o próximo post será direto dos EUA!

Mando notícias, boas, claro, assim que possível!

Beijos a todos!

Obrigada a todos que torceram e torcem por mim!

=)

4 de jan de 2011

Meu passaporte chegou!

Olá pessoal!
meu passaporte chegou, ontem!
Fiquei tão feliz, tão feliz! Nem parece real né?!
Agora é só a mala mesmo, faltam só 2 semanas....

Pra aquelas que estão com medo por serem menores de 21.
Não desistem! Se é um sonho, corram atrás disso, podemos ir onde queremos ir, não importa onde é.

Boa Sorte a todas.

Beijos

29 de dez de 2010

I got my Visa! \o/

Consegui meu visto. Aleluiaa!
Vou contar pra vocês como foi.

Fui para Brasília na terça-feira, com minha mãe, meus 2 irmãos e o motorista. Depois de muita estrada, chegamos ao nosso destino às 20:40. Comemos um sanduíche e dormimos em um Hotel mais ou menos. Acordamos às 6:00 e chegamos na Embaixada às 7:00.
Já tinha gente na fila, então tomei café rapidinho, e entrei na fila de agendamento para 8:00. Depois da triagem, que é onde eles verificam sua identidade, você entra em outra fila para conferir se você não está entrada com algo perigoso. Depois disso, você realmente entra na embaixada dos EUA, tinha uma bandeira lá no alto, brilhando, balançando e tal. Entrei na sala do Consulado, e peguei outra fila, que é para conferir se você está com o passaporte, com o DS, com a foto, e com o Imposto de Renda. Aí a moça bem simpática confere seus docs, põe em uma pasta preta e manda para outra sala, para conferência. Então você recebe uma senha e é aí que vem a parte chata: Esperar. Eu confesso que estava nervosa, minha barriga tava doendo, e eu roí minha unha toooda.
Vão chamando por senha, primeiro para pegar impressões digitais, e depois para a entrevista.
Impressão digital: Super tranquilo, a moça falou as instruções em inglês, e foi super simpática.
Entrevista: Foi quase 11:00, um moço bem simpático, típico americano, e fez entrevista em inglês também. Perguntou o nome da família com quem eu ia morar, o que eles faziam, o que meus pais fazem, qual o nome da empresa do meu pai. E depois de enrolar um pouquinho ele disse num português beeeeeeeem sotacado: Seu visto foi concedido!

Aí só alegria né, paguei a taxa do Sedex, conheci uma ex au pair na fila, e saí do Consulado sorrindo de canto a canto. =D

Valeu meninas! Obrigada a todas que torceram por mim nesse dia!
O segredo disso tudo é ser você mesma, afinal vc não tem motivos para mentir!

Beijos!

26 de dez de 2010

O peso que a gente leva

Hoje, domingo, não tenho nada pra dizer, porém achei esse texto e gostaria de compartilhar com vocês...

Olho ao meu redor e descubro que as coisas que quero levar não podem ser levadas. Excedem aos tamanhos permitidos. Já imaginou chegar ao aeroporto carregando o colchão para ser despachado?
As perguntas são muitas... E se eu tiver vontade de ouvir aquela música? E o filme que costumo ver de vez em quando, como se fosse a primeira vez?

Desisto. Jogo o que posso no espaço delimitado para minha partida e vou. Vez em quando me recordo de alguma coisa esquecida, ou então, inevitavelmente concluo que mais da metade do que levei não me serviu pra nada.
É nessa hora que descubro que partir é experiência inevitável de sofrer ausências. E nisso mora o encanto da viagem. Viajar é descobrir o mundo que não temos. É o tempo de sofrer a ausência que nos ajuda a mensurar o valor do mundo que nos pertence.

E então descobrimos o motivo que levou o poeta cantar: “Bom é partir. Bom mesmo é poder voltar!” Ele tinha razão. A partida nos abre os olhos para o que deixamos. A distância nos permite mensurar os espaços deixados. Por isso, partidas e chegadas são instrumentos que nos indicam quem somos, o que amamos e o que é essencial para que a gente continue sendo. Ao ver o mundo que não é meu, eu me reencontro com desejo de amar ainda mais o meu território. É conseqüência natural que faz o coração querer voltar ao ponto inicial, ao lugar onde tudo começou.

É como se a voz identificasse a raiz do grito, o elemento primeiro.

Vida e viagens seguem as mesmas regras. Os excessos nos pesam e nos retiram a vontade de viver. Por isso é tão necessário partir. Sair na direção das realidades que nos ausentam. Lugares e pessoas que não pertencem ao contexto de nossas lamúrias... Hospitais, asilos, internatos...
Ver o sofrimento de perto, tocar na ferida que não dói na nossa carne, mas que de alguma maneira pode nos humanizar.

Andar na direção do outro é também fazer uma viagem. Mas não leve muita coisa. Não tenha medo das ausências que sentirá. Ao adentrar o território alheio, quem sabe assim os seus olhos se abram para enxergar de um jeito novo o território que é seu. Não leve os seus pesos. Eles não lhe permitirão encontrar o outro. Viaje leve, leve, bem leve. Mas se leve.

Escrito por: Padre Fábio de Melo

22 de dez de 2010

Dia V

Faltam exatamente uma semana para o Dia V.
É o dia que está marcada a minha entrevista para tirar o visto no Consulado Americano.
Com toda essa burocracia para conseguir o visto, imagina como estou né? Ansiosa, um pouco com medo, mas, vai valer a pena.
Vou ter que viajar alguns kilômetros de carro, vou dormir pouco, mas a coisa que mais quero agora é ver meus papéis sendo carimbados de verde!
Torçam por mim!
Beijos,
Larisse

21 de dez de 2010

Au Pair

Criei esse blog com o propósito de manter minha família e meus amigos informados sobre minha vida como Au Pair nos EUA, durante o ano de 2011, só não sei se conseguirei mantê-lo.
Primeiramente, o que é ser uma Au Pair?
Ser Au Pair é estar disposta a viver 1 ano em outro país com uma família hospedeira, cuidar das crianças da casa e entrar de cabeça em uma nova cultura.
Mas mais do que isso, é investir em si mesmo!
É querer crescer, descobrir que você realmente é, aprender a lidar com as dificuldades, desmamar dos seus pais.
Muitos me acham doida, mas digo, não sou doida, sou aventureira!
Sigam-me os bons!

Ansiedade

Ansiedade é a única palavra pra definir o turbilhão de sentimentos dentro de mim.
Estou dando um grande passo e mais do que nunca eu sei que será o melhor e maior da minha vida.